Chapter

Anexo E. Inquérito da Avaliação

Author(s):
International Monetary Fund. Independent Evaluation Office
Published Date:
April 2007
Share
  • ShareShare
Show Summary Details

1. Este anexo apresenta as informações de fundo sobre o inquérito da avaliação. A Secção I proporciona uma visão geral da abordagem seguida na preparação do questionário e na identificação dos destinatários. As Secções II e III, respectivamente, traçam o perfil de destinatários e respondentes. A Secção IV apresenta resultados seleccionados do inquérito e as conclusões.

I. Abordagem

2. O inquérito visou recolher as opiniões sobre as actividades do FMI na África Subsariana das autoridades dos 29 países do PRGF, dos representantes locais dos doadores, dos representantes locais da sociedade civil, e dos corpos técnicos do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), Banco Mundial, FMI e PNUD. Uma empresa de estudos de mercado com sede em Washington, a Fusion Analytics (Fusion), prestou assistência na preparação do questionário e superintendeu a aplicação do inquérito. Para proteger o anonimato dos respondentes, todas as respostas foram tratadas pela Fusion, e os recipientes do inquérito foram informados da confidencialidade das suas respostas. O inquérito foi formulado em inglês e traduzido para o francês e o português.

3. O inquérito foi dividido em quatro partes principais. Uma parte introdutória solicitava informações gerais sobre os respondentes, incluindo a natureza e o momento exacto de qualquer envolvimento nos programas apoiados pelo PRGF. A segunda parte do inquérito colocou questões sobre a concepção dos programas PRGF e o seu impacto nos resultados económicos e na mobilização de ajuda. A terceira parte voltou-se para aspectos específicos da preparação do PRGF, incluindo até que ponto era fundada em processos nacionais e se levou em consideração o trabalho analítico e experiência das outras partes envolvidas. Esta parte também incluiu questões relacionadas com as missões do FMI e a qualidade do diálogo com as autoridades e outros intervenientes, incluindo a sociedade civil. A quarta parte perguntava as perspectivas dos respondentes sobre a evolução da abordagem do FMI numa série de questões tais como a estabilidade macroeconómica e os ODM.

II. Recipientes do Inquérito

4. A equipa de avaliação contou com uma variedade de métodos para obter a lista inicial de recipientes do inquérito e para assegurar taxas adequadas de resposta. Como parte da sua concepção, o inquérito visou grupos que se esperava serem conhecedores do FMI e das suas operações.

5. O inquérito foi enviado a 100 representantes governamentais dos 29 países do PRGF. Os inquiridos foram seleccionados na sua maioria dos ministérios das finanças (50) e do corpo técnico dos bancos centrais (30). Houve 20 inquiridos de ministérios da saúde, educação, e obras públicas. Os representantes dos governos foram identificados com base nas listas fornecidas pelos gabinetes de três Administradores do FMI que representam países da África Subsariana e pelo corpo técnico do FMI e do Banco Mundial (ambos em departamentos operacionais e relações externas). Em resultado, aproximadamente 50 inquiridos responderam ao inquérito, representando 25 (ou 86 por cento) dos 29 países do PRGF alvos do estudo. Destas respostas, 25 foram provenientes de ministérios das finanças, 20 de bancos centrais e 5 de ministérios de outros sectores—o que leva a sugerir um certo viés de selecção em favor dos ministérios das finanças.

6. A equipa de avaliação procurou o contacto com os representantes dos doadores residentes em países da África Subsariana. A informação dos contactos foi reunida a partir das sedes das agências, dos sites das agências, e de fontes do FMI e do Banco Mundial, incluindo os gabinetes dos Administradores. A amostra de doadores, composta de 92 recipientes do inquérito, incluiu funcionários de organizações de auxílio da Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Japão, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Suécia, Suíça e União Europeia. Para cada país da AS, a selecção dos doadores incluídos baseou-se na sua importância relativa em termos de fluxos de ajuda para o país.62 Responderam 52 representantes de doadores (ou 57 por cento).

7. A lista de inquiridos no BAD abrangeu a totalidade dos 26 economistas a trabalhar em países da África Subsariana com programas PRGF. A taxa de resposta do BAD foi elevada, com respostas de 20 economistas (ou 77 por cento).

8. A lista de inquiridos do corpo técnico do FMI foi extraída de uma base de dados do FMI de representantes residentes, chefes de missão e economistas encarregados de países com programas ESAF e PRGF de 1998 até ao presente. A amostra do FMI foi fixada em 71, incluindo apenas actuais ou antigos membros das missões, com pelo menos três missões, e Representantes Residentes do FMI. O corpo técnico do FMI respondeu ao inquérito por via online, com um total de 44 respostas (62 por cento da amostra). Dessas, um pouco mais de metade eram de chefes de missão e 40 por cento de representantes residentes.

9. A lista de inquiridos do corpo técnico do PNUD foi desenvolvida a partir dos sites dos países do PNUD, e validada através da troca de impressões com o corpo técnico do serviço regional do PNUD em África. No total, 22 representações foram incluídas na amostra, com 11 respostas.

10. A lista de 71 inquiridos do corpo técnico do Banco Mundial foi obtida a partir de listas das equipas dos países desde 1998 até ao presente, acrescida por contactos informais com fontes do Banco Mundial. Dos 44 (ou 62 por cento) respondentes do corpo técnico do Banco Mundial, metade eram gestores ou directores de equipas nacionais e a outra metade economistas de sectores ou de equipas nacionais.

11. A equipa de avaliação utilizou informação e contactos provenientes de fontes diversas para criar a lista de inquiridos da sociedade civil. Estes contactos incluíram: os departamentos de relações externas do FMI e do Banco Mundial; os representantes residentes do FMI e o corpo técnico do Banco Mundial da região de África; e os funcionários de Organizações da Sociedade Civil (OSC), incluindo a ActionAid, Christian Aid, EURODAD, Save the Children, Trocaire, e VSO International. Um total de 87 inquiridos da sociedade civil foram identificados e 46 respostas recebidas para uma taxa de resposta de 53 por cento. Dos respondentes da sociedade civil, 23 enviaram respostas em inglês, 18 em francês e 5 em português.

III. CaracterÍsticas dos Respondentes

12. A equipa de avaliação enviou questionários a 469 indivíduos. Destes, 266 responderam, para uma taxa de resposta global de 57 por cento (Tabela E1).

Tabela E1.Avaliação das Respostas do Inquérito
AutoridadesDoadoresBADFMIPNUDBanco MundialSociedade CivilTotal
Número de inquiridos100922671227187469
Número de respondentes50522044114446266
Taxa de resposta em percentagem5057776250625357
Nota: No caso das autoridades, as 50 respostas cobriram 25 dos 29 países do PRGF sob estudo, ou aproximadamente 86 por cento.

13. A amostra total de respostas foi distribuída de forma razoável e equitativa através das autoridades, doadores, sociedade civil, e corpo técnico do FMI e do Banco Mundial. As respostas do PNUD e do BAD compreenderam pequenas fracções do total. A taxa de resposta para cada uma das sete categorias de inquiridos foi de pelo menos 50 por cento. Estas taxas de resposta são amplamente comparáveis às dos inquéritos utilizados em outros relatórios e avaliações do FMI.63

14. Os respondentes de todos os grupos não pertencentes ao FMI expressaram familiaridade com o trabalho do FMI na África Subsariana, incluindo sobre o processo do PRGF. Com a exclusão dos representantes da sociedade civil (aos quais não se dirigiram perguntas específicas sobre o PRGF), a maioria dos respondentes estava activamente envolvida no processo do PRGF; mais de metade estava envolvida na concepção e 68 por cento tomou parte na implementação. Vinte e três por cento dos respondentes referiram não ter qualquer envolvimento nos processos do PRGF.

15. Embora os representantes da sociedade civil não tivessem sido directamente inquiridos sobre o seu envolvimento com os PRGF, eles foram inquiridos sobre a sua familiaridade com o trabalho do FMI. Especificamente, os entrevistados foram inquiridos acerca das suas principais fontes de informação sobre as actividades do FMI. A fonte mais comum de informação sobre o FMI resultou da participação em processos de consulta nacionais (aproximadamente um terço dos respondentes). O Gráfico E1 também mostra os principais sectores de actividade dos respondentes da sociedade civil. Como representado, aqueles empenhados em questões de desenvolvimento humano (incluindo saúde, educação e defesa da igualdade dos géneros) tiveram a mais elevada representação na amostra.

Gráfico E1.Características dos Representantes da Sociedade Civil

Áreas de actuação dos respondentes da sociedade civil

IV. Outras Questões

16. O texto principal apresenta os resultados do inquérito na forma de gráficos simples. Esta secção fornece detalhes sobre testes de significância e uma tabela sumária dos resultados do inquérito.

17. Apesar de testes estatísticos sugerirem a significância num número de questões, os resultados do inquérito devem ser interpretados com cautela e como indicativos das perspectivas dos grupos relevantes de respondentes. Não existe, é claro, uma forma de remover completamente o viés de selecção do processo de escolha dos inquiridos, ou das respostas recebidas, que têm maior probabilidade de provirem da parte daqueles familiarizados com o trabalho do FMI e daqueles com fortes opiniões sobre as actividades do Fundo na África Subsariana—tanto positivas como negativas.

18. Para reforçar a interpretação dos resultados, testes analisaram a significância estatística de diferenças nas respostas intra-grupos e entre-grupos. A equipa de avaliação utilizou dois testes com esse objectivo: (i) um teste t para a diferença das médias—utilizado para comparar as respostas de dois grupos—com a hipótese nula de que a diferença entre as duas médias é zero; e, (ii) a construção de intervalos de confiança em torno das respostas de cada grupo individual.

19. A Tabela E2 fornece pormenores sobre as respostas de todos os sete grupos a uma vasta série de questões do inquérito, incluindo os resultados da diferenças de médias dos testes t descritos em cima. As questões estão divididas ao longo de linhas temáticas, e incluem perguntas sobre a influência e eficácia do FMI, o papel do Fundo na mobilização e utilização de ajuda, a concepção de programas do PRGF, e sobre a comunicação e as relações com outros intervenientes. Como a tabela mostra, existem diferenças estatísticas significativas entre as respostas do corpo técnico do FMI e da sociedade civil para a maioria das questões, especialmente no que respeita à mobilização de ajuda, alcance da missão do FMI e preocupação face às questões de pobreza. Existem também diferenças significativas entre as respostas do corpo técnico do FMI e do Banco Mundial e entre as respostas do corpo técnico do FMI e dos doadores em muitas questões, incluindo a mobilização de ajuda, a influência de programas do PRGF, e a eficácia da comunicação do Fundo. As respostas do corpo técnico do FMI estão estatisticamente mais próximas das respostas das autoridades do que dos outros grupos em muitas questões, embora estes dois também apresentem diferenças significativas em questões de mobilização e utilização da ajuda. As respostas dos corpos técnicos do PNUD e do BAD não foram na generalidade suficientemente elevadas para testes de significância significativos.

Tabela E2.Resultados Seleccionados do Inquérito
Percentagem que “Concorda” ou “Concorda Fortemente” (4 ou 5)Diferença dos testes t das médias 1/
FMIAutoridadesBMDoadores
FMIAutoridadesBMDoadoresSCBADPNUDAutoridadesBMDoadoresSCBMDoadoresSCDoadoresSCSC
I.Concepçào dos programas do PRGF
1A concepção dos programas do PRGF focalizou a estabilidade macroeconómica1009898977189751,011,011,174.13*0,000,203.51*0,203.51*2.95*
2A concepção dos programas do PRGF focalizou o crescimento económico55572053497875-0,223.43*0,140,543.68*0,340,74-3.08*-2.71*0,37
3A concepção dos programas do PRGF focalizou a redução da pobreza383612231422250,202.81*1,412.46*2.56*1,202.23*-1,17-0,220,92
4A concepção dos programas do PRGF focalizou os ODM13263131300-1,491.68*-0,100,003.06*1,261,38-1.72*-1,640,10
5O PERP assentou as bases para a análise e concepção do PRGF37622848505625-2.28*0,87-0,94-1,153.20*1,070,97-1.74*-1.99*-0,14
6O PRGF estabeleceu o quadro para a implementaçãodo PERP em termos de políticas macroeconómicas785959766678501.86*1.86*0,211,180,00-1,46-0,57-1,46-0,570,87
7A concepção dos programas do PRGF reflectiu uma avaliação integrada dos restringimentos à capacidade de ab38582226334425-1.73*1,600,990,453.41*2.51*2.12*-0,39-1,09-0,57
8O FMI atribuiu maior importância às PSIAs na concepçãodos programas do PRGF7450374129672.12*3.25*2.63*1,070,66-0,30
9O FMI atribuiu maior importância aos cenários adicionais de políticas na concepção dos programas do PRGF5950243343330,722.91*1.86*2.15*1,20-0,70
10O FMI atribuiu maior importância aos cenários adicionais de ajuda na concepção dos programas do PRGF8847323329333.98*5.48*5.03*1,190,99-0,09
11O FMI deve atribuir maior importância às PSIA nos próximos cincoanos74928786100100-2.04*-1,30-1,230,650,700,05
12O FMI deve atribuir maior importânciaaos cenáriosadicionais de pollticas nos próximos cinco anos8889878386100-0,080,190,610,270,700,41
13O FMI deve atribuir maior importânciaaos cenáriosadicionais de ajuda nos próximos cinco anos85899059100100-0,40-0,562.45*-0,182.89*2.92*
II.Eficácia e influência
14O PRGF influenciou as políticas do govemo que afectam a estabilidademacroeconómica959385916990750,481,530,783.20*1,050,312.73*-0,671.69*2.20*
15O PRGF influenciou as políticas do govemo que afectam o crescimentoeconómico61492350416001,103.76*0,931.80*2.53*-0,100,69-2.51*-1.78*0,75
16O PRGF influenciou as políticas do govemo que afectam aredução da pobreza40282191310251,241.89*3.14*2.83*0,661.96*1,571,340,91-0,49
17O PRGF influenciou as pollticas do govemo que afectam os ODM291511792901,442.05*2.38*2.26*0,631,120,890,550,28-0,28
18Quando ocorreram derrapagens no PRGF, os fluxos de ajuda programados diminuíram7774734610000,260,341.92*0,071,591,58
III.Papel na mobilização e uso da ajuda
19O FMI previu correctamente as necessidades futuras de financiamento766632243675500,964.39*4.88*3.65*3.25*3.72*2.61*0,68-0,42-1,03
20O FMI catalisou a disponibilidade de ajuda adicional73754639246325-0,192.54*3.09*4.86*2.72*3.27*5.07*0,642.08*1,32
21O FMI foi pró-activo na interacção com o GC e em outras reuniões formais546918288050-1,323.49*2.20*5.27*3.67*-0,94
22O FMI foi pró-activo nas consultas informais com grupos locais de doadores6865242980750,244.27*3.48*3.89*3.15*-0,48
23O FMI foi pró-activo nas consultas individuals com os principals doadores6848282950501.74*3.86*3.53*1.79*1,60-0,07
24As políticas monetárias e fiscais do PRGF permitiram o uso da ajuda disponlvel906042612175503.26*5.14*3.11*8.34*1,59-0,053.68*-1,561.98*3.60*
25As pollticas monetárias e fiscais do PRGF permitiram o uso da ajuda vinculadaà educação805337322950252.64*4.25*4.46*5.02*1,381.67*2.02*0,390,660,23
26As pollticas monetárias e fiscais do PRGF permitiram o uso da ajuda vincula daà educação836338322950331.95*4.43*4.82*5.54*2.21*2.58*3.11*0,530,890,30
27As pollticas monetárias e fiscais do PRGF permitiram o uso da ajuda vinculada às infra-estruturas79382433333804.02*5.83*4.20*4.41*1,330,370,39-0,85-0,890,00
IV.Comunicações e relações
(A)Autoridades
28As missões do FMI ocorreram num momento oportuno para o trabalho do governo sobre o orçamento8374617248100750,932.26*1,053.26*1,290,182.26*-1,010,991.91*
29As missões do FMI ocorreram num momento oportuno para o trabalho do governo sobre a mobilizaçãoda aju da666243413771250,321.99*2.03*2.46*1.65*1.71*2.11*0,160,500,31
30As reuniões entre o FMI e as autoridades decorreram como urn intercâmbio de ideias francas sobre as pollticas958256715283501.87*4.51*2.75*4.82*2.52*0,942.73*-1,130,361,37
31As reuniões entre o FMI e as autoridades decorreram como urn intercâmbio de ideias francas sobre a mobilizaçã76683065448300,714.51*0,842.69*3.59*0,271.95*-2.53*-1,151,31
(B)doadores
32As missões do FMI ocorreram num momento oportuno para as decisões dos doadores sobre a ajuda565120155463500,373.26*3.56*0,182.86*3.18*-0,170,52-2.92*-3.25*
33O FMI discutiu com os doadores os déficesde financiamento externo909259322525-0,283.35*6.12*3.53*6.36*2.22*
34O FMI discutiu com os doadores a capacidade de absorção do país no uso dos fluxos de ajuda616424222525-0,213.38*3.28*3.56*3.47*0,19
35O FMI discutiu com os doadores os déficesde financiamento externo, salientando as situações em que a capacidade de absorção do país no uso dos fluxos de ajuda era maior que a ajuda efectivamente recebida50392241400,812.51*4.35*1,563.39*2.02*
36As reuniões entre o FMI e os doadores decorreram como urn intercâmbio de ideias francas sobre a ajuda7375374361860-0,173.44*2.63*1,013.40*2.64*1,11-0,54-1.85*-1,26
(C)Sociedade civil
37As missões do FMI ocorreram num momento oportuno para os diálogos nacionais com a sociedade civil, as auto473713221029250,853.20*2.08*3.61*2.30*1,262.70*-0,930,401,31
38As reuniões entre o FMI e a sociedade civil decorreram como um intercâmbio de ideias francas303891721330-0,682.25*1,060,842.84*1,561,45-0,79-1,37-0,38
39O FMI passou a atribuir maior importância às opiniões da sociedade civil82445043210503.41*2.80*3.19*6.10*-0,460,052.03*0,462.47*1.80*
40O FMI passou a atribuir maior importância à explicação de suas posições àsociedade civil85485248241703.43*3.11*3.25*6.27*-0,250,052.08*0,272.32*1.86*
41O FMI passou a atribuir maior importânciaao aumento da transparênciadas suas pollticas79524848251402.39*2.63*2.50*5.07*0,250,272.25*0,041.96*1.77*
42O FMI deve atribuir maior importância às opiniões da sociedade civil no spróximos cinco anos778672659175100-0,970,491,12-1,551,452.10*-0,610,62-2.01*-2.65*
43O FMI deve atribuir maior importância à explicação de suas posições àsociedade civil nos próximos cinco anos839288749188100-1,15-0,580,85-0,970,552.00*0,141,40-0,39-1.79*
44O FMI deve atribuir maior importânciaao aumento da transparênciadas suas pollticas nos próximos cinco anos7410088879188100-3.53*-1,42-1,30-1.81*2.23*2.31*1.90*0,09-0,39-0,48
Notas: * significative! no nivel de 10 por cento …pergunta não incluida no inquérito à sociedade civil 1/0 número de respostas do BAD e PNUDnão foi suficiente para a realização detestes designificância.

    Other Resources Citing This Publication